O futuro dos meios de pagamento é o futuro da TI?

Compartilhar

As inovações tecnológicas vão, aos poucos, introduzindo uma nova realidade, que até então só imaginávamos ser possível nas obras de ficção científica. Elas transformam nossa rotina gradualmente, influenciando a forma como consumimos produtos e serviços e tornando-os indispensáveis.

Essas mudanças são efeitos da transformação digital, um modo de operação que incentiva a inovação por meio da tecnologia nas organizações. De acordo com dados do IDC (International Data Corporation), até 2020, 60% dos investimentos empresariais serão voltados à transformação digital. 

Olhando para o mercado como um todo e, principalmente, avaliando os últimos anos, vemos que as tecnologias ligadas a meios de pagamento têm passado por uma evolução acelerada. 

 

O dinheiro ainda é o meio de pagamento mais usado no mundo, mas até quando? 

Países como Holanda e Suécia já estão se encaminhando para abolir o dinheiro num futuro próximo. Em cidades holandesas 20 vezes menores do que a cidade de São Paulo, como é o caso de Haia, padarias de bairro já não aceitam pagamento em dinheiro, bem como diversas redes varejistas como a Marqt, conhecida de loja de produtos naturais. Já na Suécia, país que investe muito na erradicação do dinheiro vivo, 20% da população já não utiliza caixas eletrônicos e, até 2025, 50% dos varejistas planejam não aceitar mais este tipo de pagamento.

Podemos perceber que as inovações em pagamentos são cada vez mais bem aceitas pelos consumidores, em parte porque trazem muita praticidade à rotina das pessoas, e também porque a geração de nativos digitais vem se tornando economicamente ativa – e esse é um público que ama novas tecnologias e as adota sem medo.

Ainda existe certa resistência em alguns casos, ligada principalmente a questionamentos de segurança. É por isso que, mesmo que muitas tecnologias em pagamentos já estejam disponíveis e sendo utilizadas por uma parcela considerável da população, ainda são tratadas como tendências. Existe um grande potencial de melhorias e de ganho de confiança, que só virão depois de experimentação com o público. 

Aqui, vamos listar algumas inovações que são o futuro dos meios de pagamento:

 

P2P

P2P, ou peer-to-peer, são aplicações para a transferência de valores de um usuário para outro, sem que haja a necessidade de intermediação de uma instituição financeira. Nenhum dos usuários precisa estar vinculado a um determinado banco ou a uma bandeira de cartão, basta ter um smartphone em mãos para que a quantia seja disponibilizada imediatamente ao receptor.

O potencial dessa forma de pagamento está relacionado aos custos baixos, à disponibilidade 24/7 e à inclusão financeira que possibilita. Fizemos um post sobre pagamentos P2P muito interessante para quem quiser saber mais sobre os pagamentos peer-to-peer.

 

Pagamentos invisíveis

Esses pagamentos já fazem parte do nosso dia a dia, em aplicativos como Uber, iFood, ou mesmo em lojas virtuais. Mas logo também será possível realizar compras em lojas físicas, sem a necessidade de interação humana. Na Amazon Go, um mercado nos Estados Unidos, por exemplo, já é possível realizar compras sem passar pelo caixa; tudo é cobrado em sua conta Amazon.

 

Reconhecimento facial e de veias

O reconhecimento facial já é usado em muitos smartphones como requisito de desbloqueio ou liberação de alguma funcionalidade. Mas o gigante chinês Alibaba foi mais além e desenvolveu o “Smile to Pay”, do inglês “sorria para pagar”. No Brasil, também já existem propostas de sistemas de pagamento mobile que reconhecem o rosto do usuário.

O Sem Parar, por exemplo, já está testando em São Paulo, nos estacionamentos dos shoppings Iguatemi e Morumbi, uma solução de reconhecimento facial para identificação em deslocamento e pagamentos.

Também um tipo de autorização via biometria, o reconhecimento de veias tem se destacado como uma das autenticações mais precisas e já está sendo testado para uso no varejo.

 

Banking as a Service

O Banking as a Service (BaaS) é a solução para qualquer empresa que queira oferecer serviços financeiros digitais aos seus clientes, sem se tornar um banco. Através de uma conta digital e um cartão bandeirado multiuso integrados um aplicativo, a plataforma oferece aos usuários a experiência completa de um banco digital, que pode ser destinado a diversos públicos: funcionários, clientes, fornecedores, canais, entre outros.

Para a empresa ou instituição contratante, o BaaS faz o papel da instituição de pagamento e do emissor, se responsabilizando pelas operações, licenças, compliance, legislação, tecnologia e segurança – ou seja, por toda a parte regulatória e técnica, para que as empresas possam focar somente no que realmente importa: captar, se relacionar e fidelizar clientes.

Para saber mais sobre o Baas, confira o post que fizemos aqui.

 

NFC (Contactless)

Near Field Communication ou Contactless é uma nova tecnologia que pode ser usada em pagamentos, apenas por meio da aproximação dos celulares às máquinas de cartão. A conexão e transmissão acontece via rádio frequência. Cada vez mais aparelhos já estão preparados para essa tecnologia, com sistemas iOS ou Android.

 

Criptomoedas e Blockchain

As criptomoedas são moedas digitais com grande ascensão no mercado. Elas possuem códigos que podem ser convertidos em valor real e sua tecnologia é baseada em criptografia, para que a informação seja decodificada apenas por seu usuário. Para garantir a segurança desse sistema foi desenvolvido o Blockchain, tecnologia que cria uma corrente bloqueada de transações, a fim de registrá-las e protegê-las contra fraudes.

 

O Blockchain é considerado por muitos especialistas com potencial maior do que os próprios Bitcoins para os meios de pagamento, pois acreditam que o futuro do mercado não está em criar novas moedas, mas sim digitalizar as que já existem. Isso abre caminho para o surgimento de modelos inéditos de negócio.

 

Machine Learning

Com Artificial Intelligence, o mercado cria formas de realizar tarefas, que antes só seriam possíveis com o apoio do raciocínio humano. Machine Learning é um campo de estudo que pertence a AI e por meio dele é possível criar sistemas capazes de aprender sozinhos, como é o caso do Cronos, solução de prevenção a fraudes da Conductor.

Através dessa ferramenta é possível criar uma previsão de comportamento dos usuários, a fim de que quando esse padrão seja quebrado, as fraudes sejam notadas muito mais rapidamente.

Inteligência artificial e aprendizado de máquinas possibilitam a captura de um grande volume de dados, além de processá-los, compreendê-los e armazená-los com eficiência. Sua utilização vem se tornando indispensável, principalmente para o monitoramento e autorizações de transações como as de cartão de crédito, por exemplo.

Existem muitas oportunidades neste campo, como: previsão de inadimplência em compras a prazo, rastreamento de comportamento de consumidores, uso de assistentes virtuais para o atendimento aos clientes de forma segmentada e personalizada. 

 

Internet das Coisas

A Internet das Coisas conecta diversos aparelhos a um sistema central. No setor de meios de pagamento, ela possibilita o desenvolvimento de dispositivos exclusivos, como pulseiras, para os usuários realizarem transações diretas em máquinas de cobranças, sem a necessidade de dinheiro ou cartões.

O potencial dessa tecnologia é muito alto. Imagine se sua geladeira pudesse estar conectada ao seu mercado favorito e solicitar a compra de produtos em falta, debitando automaticamente do seu cartão? Ou se seu carro pagasse o combustível de maneira automática?

 

Todas essas tecnologias e muitas outras que ainda estão por vir, têm como objetivo tornar os processos mais ágeis e facilitar a rotina das pessoas, mas acabam acarretando uma série de outros benefícios. Uma dessas vantagens seria a inclusão financeira, por exemplo, de pessoas que não têm acesso ao sistema bancário tradicional, ou não concordam com as taxas cobradas. Esses novos meios de pagamento tem potencial para movimentar um grande volume monetário. 

O futuro dos meios de pagamentos ainda pode trazer grandes surpresas e transformações. Independente dos formatos, esses aplicativos, sistemas ou dispositivos, devem focar agora em segurança e experiência do usuário, para que possam ganhar ainda mais aceitação e abrir novos mercados.

A Conductor faz parte dessa transformação no setor financeiro e no varejo, estudando ativamente novas soluções e suas aplicações no dia a dia das pessoas. Quer ler mais sobre novos meios de pagamento? Temos mais conteúdos interessantes esperando por você em nosso blog!

 

Posts relacionados

Tecnologia

LPDD: Oito camadas para uma efetiva proteção de dados

Este texto tem o objetivo de apresentar algumas camadas de proteção que podem auxiliar n...

mais
Tecnologia

Quatro passos para a implementação da LGPD

Nos últimos meses, participei de diversas reuniões e apresentações sobre a LGPD (Lei G...

mais
Tecnologia

SMS como peça de segurança: conheça os principais ataques à sua empresa que podem ocorrer

Muitos sistemas e sites, com o objetivo de aumentar a segurança de seus sistemas, utiliza...

mais

Receba nosso conteúdo exclusivo