Conta Digital PJ: uma das oportunidades da vez em serviços financeiros

Compartilhar

Não há dúvidas de que a conta digital PJ é uma das oportunidades da vez em serviços financeiros (não apenas para bancos e fintechs!).

Artigo escrito por Anderson Olivares, Diretor Executivo Latam da Conductor

Nos últimos anos, acompanhamos o boom na oferta de contas digitais para pessoa física no Brasil, o que ainda vem acontecendo graças à descentralização do mercado com a entrada de novos players (fintechs e empresas de outros segmentos) e à demanda por inclusão financeira.

Mas não são apenas as PFs que precisam de soluções mais ágeis, simples, acessíveis e customizadas para as suas necessidades. Enquanto a maioria parece olhar para as pessoas físicas, existe um universo de oportunidades para explorar no relacionamento com as pessoas jurídicas, por meio da conta digital PJ.

Empresas de diferentes portes e segmentos, mas, principalmente, pequenos e médios negócios, nem sempre encontram nos bancos tradicionais os parceiros ideais para o crescimento. Contudo, a demanda só tende a aumentar: no último ano, o país registrou um recorde de abertura de novas empresas, impulsionado pelos microempreendedores individuais (MEIs).

 

Por que a conta digital PJ é uma solução financeira a ser explorada?

Ok, mas, por que acredito que vale a pena olhar para o segmento PJ no desenvolvimento de soluções financeiras? E por que sua empresa deveria pensar em fazer parte desse movimento, seja player do setor ou não?

Vou comentar alguns dos fatores que tenho observado e que, apesar de estarem “à vista de todos”, ainda não estão sendo explorados como poderiam.

Abertura de novos negócios no país em alta velocidade

Como falei, apenas o movimento acelerado de abertura de empresas já é motivo para considerar com atenção esse público. De acordo com o boletim anual do Mapa de Empresas divulgado pelo Ministério da Economia, o Brasil ultrapassou 20 milhões de negócios em atividade.

Pegar uma fatia desse mercado não parece uma má ideia, não é mesmo?

País de Microempreendedores, com soluções financeiras para grandes empresas

As microempresas representam mais da metade dos negócios abertos – e é justamente o perfil que mais encontra barreiras na hora de contratar serviços financeiros.

As opções mais básicas de contas PJ em instituições tradicionais têm tarifas altas para emissão de boletos, transferências, compra ou aluguel de maquininha, taxas de recebimento por cartão, etc.

E, falando especificamente em MEIs, a não obrigatoriedade de ter uma conta pessoa jurídica acaba afastando o público dos produtos financeiros para negócios. Temos também dados do Sebrae sobre o principal motivo para encerramento de atividades ser relacionado à gestão das finanças das empresas.

Na minha visão, isso reforça o fato de que este público precisa, com urgência, de soluções financeiras que atendam às suas necessidades.

PJ como prioridade? Concorrência menor.

É claro, sei que ainda tem muito mercado a conquistar no universo PF. Mas é onde a concorrência também é mais agressiva para quem começa a criar relacionamentos do zero com o público.

Quem aposta no segmento PJ, entretanto, ainda tem chances de navegar em um oceano vasto, pouco concorrido e com possibilidades de ofertas mais amplas no pacote de serviços.

A conta digital PJ pode agregar diferentes produtos e ter variados usos para o empreendedor, como receber valores, pagar fornecedores, realizar o pagamento de salário dos seus funcionários e acessar linhas de crédito, apenas para citar algumas funcionalidades.

Resolução de problemas de nicho

Cada perfil de negócio tem suas próprias demandas. E, para os emissores, a oportunidade de trabalhar com soluções para nichos pode ser uma excelente estratégia de posicionamento e fidelização.

Um exemplo muito interessante nesse sentido é o da Recycard, uma solução financeira para o mercado de reciclagem – tradicionalmente baseado nas trocas em dinheiro vivo ou, no máximo, cheques.

A iniciativa tem forte propósito de inclusão financeira para esse mercado, aproveitando também uma oportunidade gigantesca: segundo o Anuário da Reciclagem de 2020, essa atividade movimentou mais de R$ 138 milhões no ano, a partir de dados de 1,8 mil organizações de catadores cadastradas.

O produto é uma plataforma digital por meio da qual o empreendedor pode efetuar pagamentos a fornecedores, receber de clientes, sacar na rede credenciada, fazer transferências e realizar compras, tudo sem mensalidade ou anuidade.

Oferecer conta digital PJ não é exclusividade para bancos e fintechs

O mercado, sem dúvidas, ainda tem espaço para uma importante evolução de produtos PJ, principalmente para médios e pequenos negócios.

Se existe uma demanda, há também uma grande oportunidade, que pode ser explorada não apenas por bancos e fintechs, mas também por empresas ou organizações que já possuem cadeias de relacionamento, dentro do contexto de embedded finance – ou seja, as finanças “embutidas” a seus modelos de negócios.

Olhando para pessoa jurídica, em quais perfis de negócio faz sentido se tornar um emissor de conta digital PJ e outros serviços financeiros? Como falei, as empresas com uma ampla e forte base de relacionamento com outros negócios:

  • Distribuidores;
  • Indústrias;
  • Redes de Franquias;
  • Redes com consultores;
  • Cooperativas.

Esses são apenas alguns exemplos que temos acompanhado no mercado. O fato é que, havendo uma conexão forte entre uma organização e outros negócios, existe oportunidade para pensar uma solução de meios de pagamento que fortaleça esse relacionamento.

Precisa de mais um exemplo para se inspirar e criar sua conta digital PJ?

A Donus é uma iniciativa da Ambev que oferece soluções financeiras para micro, pequenos e médios negócios entre sua rede de bares e restaurantes parceiros. A plataforma, lançada em 2020, inclui conta digital PJ gratuita, cartão de débito sem anuidades e taxas e maquininha exclusiva com repasse em até um dia no débito ou no crédito.

Uma forma de simplificar uma relação já existente e desburocratizar os pagamentos e recebimentos entre a Ambev e uma imensa cadeia em todo o Brasil. Inclusive, pequenos negócios distantes de agências bancárias.

Você não precisa ter a estrutura de um banco para oferecer serviços financeiros

Se existe uma tendência de bancarização dos micro e pequenos empreendedores brasileiros, como a sua empresa pode fazer parte dessa transformação, de forma ágil e com menos burocracia para aproveitar as oportunidades?

Por meio de soluções como serviço, como o Banking as a Service e o Acquiring as a Service, que permitem, respectivamente, ter o seu próprio banco digital e sua própria credenciadora – sem que você precise desenvolver a tecnologia do zero ou se preocupar com questões regulatórias.

Na Conductor, temos apoiado empresas de diversos segmentos, porte e modelos de negócio a fazer parte desse movimento, fornecendo a tecnologia em meios de pagamento para tirar projetos do papel e mover a sociedade.

Então, se você tem uma ideia de produto financeiro para engajar seu público PJ, vamos conversar sobre como isso pode se tornar realidade!

Conta Digital PJ: o que você viu nesse artigo?

  • Enquanto boa parte dos emissores de meios de pagamentos olha para o segmento pessoa física, existem oportunidades de engajamento de clientes pessoa jurídica, por meio de conta digital PJ que solucione alguns desafios comuns para esse público – especialmente as micro e pequenas empresas que não encontram nas instituições tradicionais os parceiros ideais para crescimento.
  • Não são apenas os bancos e as fintechs que podem atuar na inclusão financeira desses negócios de pequeno porte oferecendo conta digital PJ: há um importante papel de empresas de diferentes setores ao engajar seus públicos nessas soluções. Indústrias, Varejistas, Redes de Franquias e outros perfis de organização que já possuem uma cadeia de negócios conectados à sua operação podem ampliar seu relacionamento com eles por meio de soluções financeiras.
  • Entre as oportunidades para os emissores de conta digital PJ, estão a menor concorrência, a amplitude de produtos financeiros que podem ser agregados e a oportunidade de engajamento de nichos de mercado.
  • Com soluções como o Banking as a Service e o Acquiring as a Service, empresas de diferentes segmentos podem oferecer uma conta digital PJ, sem precisar desenvolver a tecnologia do zero ou se preocupar com questões regulatórias.

Artigos relacionados

Posts relacionados

Fraudes por deepfake: ameaça em meios de pagamento requer solução antifraude robusta
Financeiro

Fraudes por deepfake: ameaça em meios de pagamento requer solução antifraude robusta

É verdade que continuamente surgem novos tipos de golpes e

Open Finance e Open Banking: qual é a diferença e qual modelo de fato está sendo implementado no Brasil?
Financeiro

Open Finance e Open Banking: qual é a diferença e qual modelo de fato está sendo implementado no Brasil?

Após adiamento em função da pandemia, a implementação do Sistema Financeiro A...

Etapas do Open Banking no Brasil: o que acontece em cada fase?
Financeiro

Etapas do Open Banking no Brasil: o que acontece em cada fase?

O cronograma de implementação em quatro etapas do Open Banking já começou a se...

Receba nosso conteúdo exclusivo

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais em Cookie Settings. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies.